terça-feira, 30 de dezembro de 2008

FELIZ ANO NOVO!


Para você,
Desejo o sonho realizado.
O amor esperado.
A esperança renovada.

Para você,
Desejo todas as cores desta vida.
Todas as alegrias que puder sorrir.
Todas as músicas que puder emocionar.

Para você neste novo ano,
Desejo que os amigos sejam mais cúmplices,
Que sua família esteja mais unida,
Que sua vida seja mais bem vivida.
Gostaria de lhe desejar tantas coisas...
Mas nada seria suficiente...

Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos.
Desejos grandes...
e que eles possam te mover a cada minuto,
ao rumo da sua FELICIDADE!!!

Feliz 2009!!

domingo, 10 de agosto de 2008

FRAGMENTOS DE FUTURO...

"Enquanto a sociedade feliz não chega, que haja pelo menos
fragmentos de futuro em que a alegria é servida como
sacramento, para que as crianças aprendam que o
mundo pode ser diferente. Que a escola,
ela mesma, seja um fragmento do
futuro..."(Rubem Alves)

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

ACENDA UMA VELA, HOJE...PROTESTO DE LUZ



O que é um PROTESTO DE LUZ?

Um protesto de luz é semelhante aos outros (dos que se ouve falar nas noticias ou diários) mas com algumas diferenças centrais:

* Um protesto de luz une milhões de pessoas à volta do mundo.
* Um protesto de luz convida as pessoas a atuar num momento específico no tempo por um só fim/intenção/objetivo.
* Um protesto de luz é um novo modo global que releva o poder de cada pessoa em manifestar a sua opinião
* Um protesto de luz luta sempre por uma causa nobre, como direitos humanos, liberdade de escolha, pensamento, credo e assim sucessivamente.
* Um protesto de luz é sempre não-comercial e pacífico!


Lembre-se que um protesto de luz depende de cada um de nós manifestar a sua opinião no mesmo momento/dia, e convidar pessoas e amigos a juntar-se.

É assim, tão simples quanto isso e eficaz, participe!

ACENDA UMA VELA, HOJE...PROTESTO DE LUZ

Acenda uma vela pelo Tibet!

Na noite de 07 de agosto, véspera da abertura dos Jogos Olímpicos, junto à janela de sua casa, no trabalho ou em local público, às 21:00 horas...

(Mas faça isso com segurança para não provocar nenhum acidente!)

Convide a sua lista! Mais de 100 milhões no mundo acenderão!

http://www.candle4tibet.org/pt/

Participe e divulgue!

Obrigada!

terça-feira, 5 de agosto de 2008

ACENDA UMA VELA.... PROTESTO DE LUZ



Acenda uma vela pelo Tibet!

Na noite de 07 de agosto, véspera da abertura dos Jogos Olímpicos,junto à janela de sua casa, no trabalho ou em local público, às 21:00 horas...
(Mas faça isso com segurança para não provocar nenhum acidente!)

Convide a sua lista! Mais de 100 milhões no mundo acenderão!

http://www.candle4tibet.org/pt/

* * * * * * *

Abaixo-assinado pela Libertação e o Fim da Violência no Tibet
www.tibet.vai.la
(em português)

http://br.youtube.com/watch?v=LNp3LngJCM8
(Fotos do Levante Internacional)


Passe adiante!
Fraternalmente,

Paulo Stekel [Pema Dorje]
(editor da Revista Horizonte - Leitura Holística)

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

OLIMPÍADAS DA VERGONHA...



REPORTAGEM ESPECIAL - Boicote aos Jogos da China: parece “postura radical”, mas razões são muitas e lícitas

Mônica Pinto / AmbienteBrasil


Os Jogos Olímpicos da China, de 8 a 24 de agosto, despertam, em muita gente, mais revolta do que euforia. Numa deformação atípica, o evento que tornou-se tradicionalmente sinônimo de valores elevados para os seres humanos, ao acontecer nesse país, mais os nega do que reforça.

Em 1993, Pequim pleiteou sediar os Jogos, sendo preterida, entre outras razões, pelo alto nível de poluição registrado na cidade. Em julho de 2001, convenceu o Comitê Olímpico Internacional de que realizaria “Olimpíadas Verdes” – uma promessa até agora não cumprida, conforme divulgado recentemente pela imprensa (leia em Pequim não atinge padrões de poluição a um mês das Olimpíadas).

Atletas de diversos países já externaram preocupação quanto às respectivas performances e a expectativa generalizada é que os Jogos na China não registrem grandes quebras de recordes. Pior que isso, a péssima qualidade do ar pode resultar até na morte de competidores, dado o extremo esforço a que se submetem.

Justiça seja feita, a China até que tentou. Fechou fábricas altamente poluidoras; promoveu “dias sem carro”, implantou técnicas para provocar chuva e dispersar poluentes, entre outras iniciativas.

Mas seus problemas em termos de imagem vão muito além da fumaça visível em Pequim. No campo dos direitos humanos, a Anistia Internacional aponta que a China continua ferindo as convenções globais e perseguindo de forma implacável seus dissidentes e opositores. Os prisioneiros políticos lotam o sistema penitenciário e são submetidos à tortura, cárceres precários e julgamentos sem direito à defesa. As execuções ainda são comuns, há denúncias sobre campos de trabalho em condições degradantes e sobre alto índice de exploração de mão-de-obra infantil.

A causa da independência do Tibet, um tanto esquecida desde o massacre de manifestantes pelo exército chinês na praça da Paz Celestial, em 1989, renasceu perante a opinião pública ocidental. A passagem da Tocha Olímpica foi marcada por manifestações pró-Tibet em diversos países. Diretamente, os membros do COI vivenciaram constrangimento em protestos de ativistas em frente ao hotel onde se reuniam em junho passado, na Grécia.

No mesmo mês, as autoridades chinesas encurtaram em três dias a etapa da chama olímpica no Tibet, cenário, em março passado, de uma violenta revolta antichinesa. No discurso oficial, a modificação se deu por causa do terremoto que devastou o sudoeste da China.

Liberdade de imprensa – ou melhor, a falta dela – é outro acinte aos direitos do cidadão naquele país. Em toda a porção democrática do planeta, a Internet é território livre. A China exerce um controle rígido na rede. Os internautas têm acesso a uma versão cheia de páginas censuradas, especialmente as de notícias, como a da BBC, fora as de organizações de defesa dos Direitos Humanos e todas as que forem consideradas subversivas pelo poder comunista.

Boicote organizado

Em 2005, a China já figurava como vilã número um em relação aos direitos animais. Em novembro daquele ano, por exemplo, o ex-Beatle Paul McCartney anunciou que jamais se apresentaria no país, indignado com o massacre de cachorros e gatos para a retirada de suas peles.

Esse é um mercado que encontra guarida em vários locais, mas, na China, chama especial atenção pela crueldade absolutamente desnecessária com que se processa. McCartney fez a declaração após assistir a um vídeo, gravado com câmara oculta em um mercado de Cantão, ao sul do país. As cenas, feitas pela entidade Peta (People for the Ethical Treatment of Animals), mostram atrocidades como o lançamento de gatos e cachorros do teto de um ônibus até o chão de cimento; gatos em sacos sendo colocados vivos em água fervente e homens rindo enquanto batem com paus em gatos e cachorros até a morte destes.

Desde 2006 – portanto há três anos consecutivos -, entidades de proteção aos animais de todo o mundo manifestam-se, no dia 13 de fevereiro, contra a indústria de peles na China. E o Brasil participa desse movimento.

“Um governo que não respeita os direitos humanos, não tem nenhuma legislação referente aos animais, um dos maiores poluidores do planeta, sem dúvida alguma, não tem moral para sediar uma Olimpíada. Trata-se de um grande equívoco ou de um grande golpe”, disse a AmbienteBrasil Fábio Paiva, líder do grupo “Pelo Fim do Holocausto Animal”, um dos organizadores dos protestos em território brasileiro.

”Os alienados e aqueles que estão de alguma forma envolvidos financeiramente com os Jogos Olímpicos, bem como os atletas, podem até não perceber ou fazer de conta que nada disso é verdade. Mas, aos olhos das centenas de entidades espalhadas ao redor do mundo, que lutam pelos direitos humanos e direitos animais, a Olimpíada de Pequim não será motivo para que amenizemos a pressão”, completa.


Essa pressão vem sendo concretizada pelo convite a um boicote completo aos Jogos.

Não precisa se ir muito longe para encontrar reprovação aos, digamos, métodos do país. No dia 18 passado, AmbienteBrasil publicou em seu clipping notícia com o título COI ameaça cancelar provas em Pequim por causa da poluição.

Vários leitores se manifestaram no espaço apropriado.Adriana Bastos disse: “Penso que o COI deveria boicotar as Olimpíadas pelas atrocidades que estão sendo cometidas com os tibetanos.Liberdade ao Tibet!!!”

A leitora Tereza opinou que “a China ainda vai se arrepender em querer sediar as Olimpíadas, pois ela esta se mostrando ao mundo e o que nós estamos vendo não é o que os chineses queriam nos mostrar...”.

Para completar o pacote de contradições dos jogos vindouros, mais uma informação:o evento que faz da busca pela superação sua marca; que festeja a saúde em todos os seus aspectos, é patrocinado por um ícone da chamada junk food (termo utilizado para definir alimentos com alto teor calórico e níveis reduzidos de nutrientes) – o McDonald’s.


Fábio Paiva
Ativista em defesa dos Direitos Animais
http://www.holocaustoanimal.org/
http://holocaustoanimalbrazil.blogspot.com/
http://animalpress.blogspot.com/

Junte-se ao boicote contra a China
http://www.thepetitionsite.com/takeaction/395884823

quarta-feira, 16 de julho de 2008

O MAIOR PROTESTO DE LUZ PELO TIBET



100.000.000 de pessoas unirão a sua luz, no que será o maior Protesto de Luz pelo Tibet.

Tel Aviv, Julho 14 2008

O maior PROTESTO DE LUZ NO MUNDO acontecerá a 7 de Agosto 2008, o dia anterior à abertura dos Jogos Olímpicos em Beijing, quando pelo menos 100 milhões de pessoas por todo o planeta acenderão uma vela e dirão SIM à Liberdade no Tibet!

Um protesto de luz é semelhante aos outros mas com algumas diferenças. Ele une milhões de pessoas à volta do mundo, quando lhes é dada a oportunidade de atuar num momento específico no tempo por um só objetivo (como aconteceu em 'earth hour' ou 'live 8'). É não-comercial e pacífico. É um novo modo global que releva o poder de cada pessoa em manifestar a sua opinião por uma causa nobre.Não é de modo nenhum um protesto virtual.

A campanha começou no 'facebook' a partir do desktop de David Califa, 52, um privado, aposentado, com historia em investimentos bancários, de Ramat Hasharon, Israel. Mr. Califa tem financiado esta campanha com os seus próprios fundos. "Vela pelo Tibete" cresceu rapidamente para um movimento global que opera um 'website' multilingue (25 línguas, todas traduzidas por voluntários), e tem também a sua rede social. Mr. Califa juntou esforços com membros do Unity Network, um movimento global atuando com o fim de promover a unidade e o amor entre os seres humanos independentemente da sua cor, nacionalidade, sexo, religião ou política.
Até ao momento, mais de 500,000 pessoas de mais de 100 países estão inscritas.

A diva Tibetana, Yungchen Lhamo, juntou-se a "Vela pelo Tibet". Miss Lhamo, reconhecida como "A Voz do Tibet", conduzirá a campanha com a sua divina voz, música e espírito.

"Vela pelo Tibet" pede às pessoas que acendam uma vela à sua janela, varanda, ou qualquer outro local onde outros a vejam e desejavelmente façam o mesmo. Muitos participarão em vigílias de luz à volta do mundo. Espera-se que este protesto de luz seja visto por bilhões nas TVs por todo o mundo no dia de abertura dos Jogos Olímpicos. No dia seguinte serão enviadas cartas a todos os presidentes de governo mundiais informando-os exatamente quanto os seus concidadãos desejam um Tibet Livre. Pedindo a cada um deles que atue pela Liberdade do Tibet.


http://www.candle4tibet.org/pt/

http://candle4tibet.ning.com/

Email:info@candle4tibet.org
Contact: David Califa
+972 (54) 4730090



Clique na imagem para ampliá-la

Caro amigo(a)


Estamos agora na última etapa para o Maior Protesto de Luz de todos os tempos.Precisamos de tanta cobertura jornalística quanto possível. Precisamos da tua ajuda ativa onde quer que estejas.Acima está a nossa informação à imprensa.Por Favor envia-a, por email, a qualquer órgão de informação que possas (TV e Rádio, Diários, Revistas, WebSites), publique-a em seu blog, evie para seus amigos por e-mail.

Este é um protesto de todos nós.Contamos com você.

http://www.candle4tibet.org/pt/

PROTESTO DE LUZ PELO TIBET


PORQUÊ O TIBET: O Tibet tornou-se um símbolo da liberdade.Símbolo que representa o direito de todos os seres humanos à autodeterminação, liberdade de pensamento, consciência, credo e religião.

A OPORTUNIDADE: Os Jogos Olímpicos de Beijing que começarão a 8 de Agosto 2008, são uma oportunidade única para focar a atenção mundial na completa inexistência de direitos no Tibet e em muitos outros lugares no mundo.
Esta é uma oportunidade única pois a China está sensível à sua imagem no mundo. Não somos contra os Jogos Olímpicos. Somos pela liberdade. Por esta razão sentimos que esta é uma excelente altura para manifestarmos a nossa opinião.

O OBJETIVO. É dar a todo o mundo a oportunidade para se unir de um modo ativo e enviar uma mensagem de amor e liberdade. Acreditamos no poder das pessoas quando unidas para fazer verdadeiras mudanças ao mundo. Desta vez é pelo Tibet e pela liberdade, o próximo passo poderá ser por qualquer causa que as pessoas escolherem. Desejamos mostrar que há um modo de as pessoas se unirem como uma só e fazerem a diferença. Logo após a campanha VELA PELO TIBET anunciaremos a próxima campanha.

ACERCA DA UNITY NETWORK (Rede da Unidade). É um movimento global que atua em prol da união entre as pessoas e pelo amor entre os seres humanos independentemente da sua cor, nacionalidade, sexo, religião ou política.A Rede da Unidade tem como objetivo dar à população mundial o poder de manifestar a sua força unida criando uma rede que tornará possível a realização de ações globais sincronizadas e protestos pacíficos pela paz, amor e outras questões comuns a todos os seres humanos.

ACERCA DE YUNGCHEN LHAMO. O seu nome significa Deusa da Canção.Deixou o Tibete em 1989 aos 25 anos, fugindo através dos Himalayas para escapar à opressão chinesa no Tibet. Fez uma peregrinação a Dharamsala, para receber a benção do Dalai Lama, onde S.S. vive exilado. Ela queria alcançar o mundo com a sua música, partilhar a sua cultura e educar as pessoas acerca do Tibet.Deste que assinou contrato com a Peter Gabriel's Real World Records, Yungchen lançou dois álbuns muito bem acolhidos pela crítica. Michael Coulson dirigiu o primeiro vídeo musical da Yungchen, Happiness Is – (A Felicidade É).O vídeo pode ser visto no nosso sítio por cortesia da cantora.

Candle for Tibet

sexta-feira, 11 de julho de 2008

CARTA PELA LIBERTAÇÃO E O FIM DA VIOLÊNCIA NO TIBET


Imagem criada por Paulo Stekel.


Abaixo-assinado pela Libertação e o Fim da Violência no Tibet:

www.tibet.vai.la

(em português)

Por favor, assine e repasse para seus amigos!

OPRESSÃO NO TIBET

Fotos do levante nacional.

Abaixo-assinado pela Libertação e o Fim da Violência no Tibet:

www.tibet.vai.la
(em português)
Assine, repasse para seus amigos!

quinta-feira, 10 de julho de 2008

PROTESTO DE LUZ

Happiness Is...

Música: Happiness is...
Por Yungchen Lhamo

Leia o post abaixo e acenda uma vela pelo Tibet...

PROTESTO DE LUZ




Caro(a) amigo(a),

Acredita na Liberdade?

Valoriza a Liberdade?

Dá-lhe importância?

Quer manifestar a sua opinião?


Seja parte de algo Muito Grande, Junte-se a 100 milhões de pessoas que dirão:
SIM à Liberdade do Tibet
, e outros lugares no mundo,e criarão o Maior Protesto de Luz no Mundo.

Acenda uma vela na noite de 07 de agosto, véspera da abertura dos Jogos Olímpicos, junto à janela de sua casa, no trabalho ou em local público, às 21:00 horas (horário local).Mas faça isso com segurança para não provocar nenhum acidente!

Visite: http://www.candle4tibet.org/ hoje e convide todos os seus amigos a juntarem-se a nós.

Unidos, Nada Ocultará a Nossa Luz.

Envie esta mensagem a tantas pessoas quantas puder.

com Amor
Candle for Tibet

segunda-feira, 30 de junho de 2008

AFINIDADE



A afinidade não é o mais brilhante, mas o mais sutil,
delicado e penetrante dos sentimentos.
O mais independente.

Não importa o tempo, a ausência, os adiamentos,
as distâncias, as impossibilidades.
Quando há afinidade, qualquer reencontro retoma a relação,
o diálogo, a conversa, o afeto, no exato ponto em que foi interrompido.
Afinidade é não haver tempo mediando a vida.

É uma vitória do adivinhado sobre o real.
Do subjetivo sobre o objetivo.
Do permanente sobre o passageiro.
Do básico sobre o superficial.
Ter afinidade é muito raro.

Mas quando existe não precisa de códigos verbais para se manifestar.
Existia antes do conhecimento, irradia durante e permanece depois
que as pessoas deixaram de estar juntas.
O que você tem dificuldade de expressar a um não afim, sai simples
e claro diante de alguém com quem você tem afinidade.

Afinidade é ficar longe pensando parecido a respeito dos mesmos
fatos que impressionam, comovem ou mobilizam.
É ficar conversando sem trocar palavra.
É receber o que vem do outro com aceitação anterior ao entendimento.

Afinidade é sentir com.
Nem sentir contra, nem sentir para, nem sentir por, nem sentir pelo.
Quanta gente ama loucamente, mas sente contra o ser amado.
Quantos amam e sentem para o ser amado, não para eles próprios.

Sentir com é não ter necessidade de explicar o que está sentindo.
É olhar e perceber.
É mais calar do que falar.
Ou quando é falar, jamais explicar, apenas afirmar.

Afinidade é jamais sentir por.
Quem sente por, confunde afinidade com masoquismo.
Mas quem sente com, avalia sem se contaminar.
Compreende sem ocupar o lugar do outro.
Aceita para poder questionar.
Quem não tem afinidade, questiona por não aceitar.

Só entra em relação rica e saudável com o outro,
quem aceita para poder questionar.
Não sei se sou claro: quem aceita para poder questionar,
não nega ao outro a possibilidade de ser o que é, como é, da maneira que é.
E, aceitando-o, aí sim, pode questionar, até duramente, se for o caso.
Isso é afinidade.
Mas o habitual é vermos alguém questionar porque não aceita
o outro como ele é. Por isso, aliás, questiona.
Questionamento de afins, eis a (in)fluência.
Questionamento de não afins, eis a guerra.



A afinidade não precisa do amor. Pode existir com ou sem ele.
Independente dele. A quilômetros de distância.
Na maneira de falar, de escrever, de andar, de respirar.
Há afinidade por pessoas a quem apenas vemos passar,
por vizinhos com quem nunca falamos e de quem nada sabemos.
Há afinidade com pessoas de outros continentes a quem nunca vemos,
veremos ou falaremos.

Quem pode afirmar que, durante o sono, fluidos nossos não saem
para buscar sintomas com pessoas distantes,
com amigos a quem não vemos, com amores latentes,
com irmãos do não vivido?

A afinidade é singular, discreta e independente,
porque não precisa do tempo para existir.
Vinte anos sem ver aquela pessoa com quem se estabeleceu
o vínculo da afinidade!
No dia em que a vir de novo, você vai prosseguir a relação
exatamente do ponto em que parou.
Afinidade é a adivinhação de essências não conhecidas
nem pelas pessoas que as tem.

Por prescindir do tempo e ser a ele superior,
a afinidade vence a morte, porque cada um de nós traz afinidades
ancestrais com a experiência da espécie no inconsciente.
Ela se prolonga nas células dos que nascem de nós,
para encontrar sintonias futuras nas quais estaremos presentes.
Sensível é a afinidade.
É exigente, apenas de que as pessoas evoluam parecido.
Que a erosão, amadurecimento ou aperfeiçoamento sejam do mesmo grau,
porque o que define a afinidade é a sua existência também depois.

Aquele ou aquela de quem você foi tão amigo ou amado, e anos depois
encontra com saudade ou alegria, mas percebe que não vai conseguir
restituir o clima afetivo de antes,
é alguém com quem a afinidade foi temporária.
E afinidade real não é temporária. É supratemporal.
Nada mais doloroso que contemplar afinidade morta,
ou a ilusão de que as vivências daquela época eram afinidade.
A pessoa mudou, transformou-se por outros meios.
A vida passou por ela e fez tempestades, chuvas,
plantios de resultado diverso.

Afinidade é ter perdas semelhantes e iguais esperanças,
é conversar no silêncio, tanto das possibilidades exercidas,
quantos das impossibilidades vividas.

Afinidade é retomar a relação do ponto em que parou,
sem lamentar o tempo da separação.
Porque tempo e separação nunca existiram.
Foram apenas a oportunidade dada (tirada) pela vida,
para que a maturação comum pudesse se dar.
E para que cada pessoa pudesse e possa ser, cada vez mais,
a expressão do outro sob a forma ampliada e
refletida do eu individual aprimorado.

Texto de Artur da Távola

sexta-feira, 27 de junho de 2008

NOS UNE LA AMISTAD



A Ana Cristina, do blog “Ouvir Estrelas” , em seu post de 05.06.2008, outorgou ao meu blog o selo “NOS UNE LA AMISTAD", o que me deixou muito feliz.

A finalidade desse procedimento é promover maior integração entre os blogs.

Repasso agora essa distinção aos cinco blogs abaixo, que fazem parte da minha lista de “Blogs Amigos”:

1-Gritos Verticais, do André Luis
2-Natureza Poética, da Rita
3-Fases da Lua Cheia , da Greentea
4-Pitanga Doce, da Pitanga Doce
5-Compartilhando as Letras, da Sonia

Espero que gostem!Peguem o selo acima e façam uma postagem repassando o selo para cinco blogs amigos.Obrigada.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

MEU PRIMEIRO MEME



Meme é um termo cunhado pelo cientista Richard Dawkins em 1976 para explicar a propagação e evolução de idéias ao longo do tempo.
Os memes podem ser idéias, ou parte delas, línguas, cores, desenhos, sons, valores morais ou sociais.Para os blogs, os memes são discussões que envolvem vários blogs e se auto-relacionam, ou seja, significa criar um post com uma idéia e fazer com que outras pessoas escrevam sobre esse mesmo assunto dando seu ponto de vista.

Recebi da Rita do Alma de Poesia "o meme do livro".Esse meme consiste em fazer uma busca em um livro:

1- Pegue o livro mais próximo, com mais de 161 páginas.
2- Abra o livro na página 161.
3- Na referida página procure a 5.ª frase completa.
4- Transcreva na íntegra para o seu blog a frase encontrada.
5- Passe o desafio a cinco blogs.

Pois bem, então vamos lá.O livro mais próximo com mais de 161 páginas é:

A DITADURA ENVERGONHADA - As ilusões armadas - Elio Gaspari



A 5ª frase completa da página 161:

"No final da ditadura quase todos os oficiais que Golbery levara para o Serviço já haviam brigado com ele ( ou Golbery com eles)."

Agora repasso o meme para os blogs:

1-Compartilhando as Letras, da Sonia Regly

2-Jardim de Versos e Prosas, da Guida Linhares

3-A casa do Zé Carlos, do José Carlos Manzano

4-Raiz de Cem, do André

5-Ouvir Estrelas, da Ana Cristina


Espero que gostem e se divirtam com o meme do livro.Obrigada pela participação!

quarta-feira, 25 de junho de 2008

UMA VELA PELO TIBET



Nós vamos acender uma vela pelo Tibet porque o Tibet tornou-se um símbolo de liberdade.Um símbolo que representa o direito de qualquer ser humano à auto-determinação, liberdade de expressão, pensamento, consciência e religião.

Junte-se à maior manifestação pelo Tibet

Quinta-feira 7 de Agosto de 2008, na noite anterior ao início dos Jogos Olímpicos.

Participe em "Uma vela na minha janela - pelo Tibet"
http://www.candle4tibet.org/

Acenda uma vela pelo Tibet na sua casa, no seu trabalho ou num lugar público.

Você não estará sozinho. Milhões de pessoas em todo o mundo estarão nesta mesma oração pela liberdade e esperança.

E as nossas velas serão vistas por milhões na televisão em todo o mundo no dia da abertura das olimpíadas. O Tibet não será esquecido.
Junte-se a http://www.candle4tibet.org/ hoje e convide todos os seus amigos.

Nós vamos conseguir. O mundo estará observando.

Por favor, passe este texto para todas as pessoas que possa contatar.

terça-feira, 3 de junho de 2008

sexta-feira, 30 de maio de 2008

JUVENTUDE ETERNA



Essa história que eu vou contar agora aconteceu com uma mulher inteligente que estava fazendo uma palestra. Diz ela:


"Mês passado participei de um evento sobre o Dia da Mulher.
Era um bate-papo com uma platéia composta de umas 250 mulheres de todas as raças, credos e idades. E por falar em idade, lá pelas tantas, fui questionada sobre a minha e, como não me envergonho dela, respondi.
Foi um momento inesquecível...
A platéia inteira fez um "oooohh" de descrédito.
Aí fiquei pensando: "pô, estou neste auditório há quase uma hora exibindo minha inteligência, e a única coisa que provocou uma reação calorosa da mulherada foi o fato de eu não aparentar a idade que tenho?
Onde é que nós estamos?"

Onde não sei, mas estamos correndo atrás de algo caquético chamado "juventude eterna".
Estão todos em busca da reversão do tempo.

Acho ótimo, porque decrepitude também não é meu sonho de consumo, mas cirurgias estéticas não dão conta desse assunto sozinhas.
Há um outro truque que faz com que continuemos a ser chamadas de senhoritas mesmo em idade avançada.
A fonte da juventude chama-se mudança.

De fato, quem é escravo da repetição está condenado a virar cadáver antes da hora.
A única maneira de ser idoso sem envelhecer é não se opor a novos comportamentos, é ter disposição para guinadas.
Eu pretendo morrer jovem aos 120 anos.
Mudança, o que vem a ser tal coisa?

Minha mãe recentemente mudou do apartamento enorme em que morou a vida toda para um bem menorzinho.
Teve que vender e doar mais da metade dos móveis e tranqueiras, que havia guardado e, mesmo tendo feito isso com certa dor, ao conquistar uma vida mais compacta e simplificada, rejuvenesceu.

Uma amiga casada há 38 anos cansou das galinhagens do marido e o mandou passear, sem temer ficar sozinha aos 65 anos. Rejuvenesceu.

Uma outra cansou da pauleira urbana e trocou um baita emprego por um não tão bom, só que em Florianópolis, onde ela vai à praia sempre que tem sol. Rejuvenesceu.

Toda mudança cobra um alto preço emocional.
Antes de se tomar uma decisão difícil, e durante a tomada, chora-se muito, os questionamentos são inúmeros, a vida se desestabiliza.
Mas então chega o depois, a coisa feita, e aí a recompensa fica escancarada na face.

Mudanças fazem milagres por nossos olhos, e é no olhar que se percebe a tal juventude eterna. Um olhar opaco pode ser puxado e repuxado por um cirurgião a ponto de as rugas sumirem, só que continuará opaco porque não existe plástica que resgate seu brilho. Quem dá brilho ao olhar é a vida que a gente optou por levar.
Olhe-se no espelho...

Texto de Martha Medeiros

quarta-feira, 28 de maio de 2008

LIMITES DO AMOR...



Condenado estou a te amar nos meus limites até que exausta e mais querendo um amor total, livre das cercas, te despeça de mim, sofrida, na direção de outro amor que pensas ser total e total será nos seus limites da vida.
O amor não se mede pela liberdade de se expor nas praças e bares, em empecilho.
É claro que isto é bom e, às vezes, sublime.
Mas se ama também de outra forma, incerta, e este o mistério: ilimitado o amor às vezes se limita, proibido é que o amor às vezes se liberta.
Ele quis morrer para arrasar a morte e voltar.

Affonso Romano de Sant’Anna

domingo, 25 de maio de 2008

VONTADE DE UM ABRAÇO...



De repente deu-me vontade de um abraço...
Uma vontade de entrelaço, de proximidade..
de amizade..sei lá..

Talvez um aconchego que enfatize a vida e
amenize as dores...
Que fale sobre os amores,
que seja teimoso e ao mesmo tempo forte.
Deu vontade de poder rever saudade
de um abraço.

Um abraço que eternize o tempo
e preencha todo espaço
mas que faça lembrar do carinho,
que surge devagarzinho
da magia da união dos corpos, das auras..sei lá.
Lembrar do calor das mãos
acariciando as costas
a dizer..
"estou aqui."
Lembrar do trançar dos braços,
envolventes e seguros afirmando
"estou com você"...
Lembrar da transfusão de forças
com a suavidade do momento ..sei lá...

abraço...abraço...abraço...
abraço...abraço..abraço...

O que importa é a magia desse abraço!
A fusão de energia que harmoniza,
integra tudo, e que se traduz
no cosmo, no tempo e no espaço.

Só sei que agora deu vontade desse abraço!!
Que afaste toda e qualquer angústia.
Que desperte a lágrima da alegria,
e acalme o coração...

Que traduza a amizade,o amor e a emoção.
E para um abraço assim só pude pensar em você...
nessa sua energia,
nessa sua sensibilidade
que sabe entender o por quê...
nessa vontade desse abraço.
(Vinicius de Moraes)

O MISTÉRIO DO ABRAÇO



Dizem os orientais que, quando abraçarmos uma pessoa querida a quem amamos,devemos fazer da seguinte forma:
Inspirando e expirando três vezes, e aí sua felicidade se multiplicará pelo menos dez vezes.
O efeto terapêutico do abraço é inegável.

Diante disso não podemos esperar para abraçarmos a quem queremos bem.
Se você estiver sentindo um vazio interior, tente abraçar o seu amigo, deslizando delicadamente a mão sobre as costas dele, para que o possa sentir junto a você.

Nos momentos de dor ou de alegria é que vemos o bem que um grande e demorado
abraço nos causa.Pelo abraço, transmitimos emoções, recebemos carinho, trocamos afeto, compartilhamos alegria, amenizamos dores, demonstramos amizade, doamos amor,
expressamos nossa humanidade.
É tempo de enlaçarmos nossos braços num terno, profundo e afetuoso abraço.

Texto de Luiz Maia
Imagem: Abraço
Escultura em pedra calcária
de Cléa Espíndola

ONE WORLD, ONE DREAM, FREE TIBET !!!



O "The Wall Street Journal" batizou as Olimpíadas 2008 de "Olimpíadas do Genocídio". Na celebração da contagem regressiva de "um ano para as Olimpíadas", em agosto do ano passado, seis ativistas pela independência do Tibet foram presos na China após fazerem rapel na Grande Muralha abrindo uma faixa de 42 m² com a mensagem: "Um Mundo.Um Sonho. Libertem o Tibet" e o símbolo das olimpíadas.

FREE TIBET


Jornal indiano publica notícia sobre a grande quantidade de pessoas que mudaram seus nomes no perfil do Orkut para "Free Tibet", em protesto contra a violência patrocinada pela ditadura chinesa no Tibet.

Mude você também seu nome no Orkut para FREE TIBET!!!


Ações promovidas pelo mundo todo

Eis algumas notícias que estão na mídia referindo-se a ações em favor do Boicote a Beijing 2008:

A ONG Animal Liberation Front pede boicote à China pelos maus tratos aos animais, especialmente quanto ao comércio de peles permitido por Pequim.
Leia o blog

A ONG Repórteres Sem Fronteiras chama a China de “a maior prisão do mundo para jornalistas e ciber-dissidentes”.
Leia aqui

A ONG Free Tibet Campaign pergunta em seu site “O que Pequim está escondendo no Tibet?”
Leia no site oficial (disponível apenas em inglês)

A ONG Human Rights Watch tem uma página específica para tratar das violações aos direitos humanos na China.
Leia aqui:(em inglês) e a seção (em português).


A ONG chinesa China Freedom Blog Alliance tem um blog muito bom sobre a questão dos direitos humanos, além de propor um boicote aos produtos chineses(apenas em inglês). Leia aqui

O blog está sediado no Canadá.

EXPLICANDO A LOGOMARCA...



Como foi criada a logomarca das Olimpíadas de Pequim 2008.

sexta-feira, 16 de maio de 2008

ODE AO GATO




Nada é mais incômodo para a arrogância humana que o silencioso bastar-se dos gatos. O só pedir a quem amam. O só amar a quem os merece. O homem quer o bicho espojado, submisso, cheio de súplica, temor, reverência, obediência.O gato não satisfaz as necessidades doentias de amor.Só as saudáveis.

Já viu gato amestrado, de chapeuzinho ridículo, obedecendo às ordens de um pilantra que vive às custas dele? Não! Até o bondoso elefante veste saiote e dança valsa no circo. O leal cachorro no fundo compreende as agruras do dono e faz a gentileza de ganhar a vida por ele. O leão e o tigre se amesquinham na jaula. Gato não. Só aceita relação de independência e afeto. E como não cede ao homem, mesmo quando dele dependente, é chamado de traiçoeiro, egoísta, safado, espertalhão ou falso.

“Falso”, porque não aceita a nossa falsidade e só admite afeto com troca e respeito pela individualidade. O gato não gosta de alguém porque precisa gostar para se sentir melhor. Ele gosta pelo amor que lhe é próprio, que é dele e o dá se quiser.

O gato devolve ao homem a exata medida da relação que dele parte. Sábio, é esperto. O gato é zen. O gato é Tao. Conhece o segredo da não-ação que não é inação. Nada pede a quem não o quer. Exigente com quem o ama, mas só depois de muito se certificar. Não pede amor, mas se lhe dá, então o exige.

O gato não pede amor. Nem dele depende. Mas, quando o sente, é capaz de amar muito. Discretamente, porém, sem derramar-se. O gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano, mas se comporta como um lorde inglês.

Quem não se relaciona bem com o próprio inconsciente não transa o gato. Ele aparece, então, como ameaça, porque representa a relação sempre precária do homem com o (próprio) mistério. O gato não se relaciona com a aparência do homem. Vê além, por dentro e avesso. Relaciona-se com a essência.

Se o gesto de carinho é medroso ou substitui inaceitáveis (mas existentes) impulsos secretos de agressão, o gato sabe. E se defende ao afago. A relação dele é com o que está oculto, guardado e nem nós queremos, sabemos ou podemos ver. Por isso, quando esboça um gesto de entrega, de subida no colo ou manifestação de afeto, é muito verdadeiro, impulso que não pode ser desdenhado. É um gesto de confiança que honra quem o recebe; significa um julgamento.

O homem não sabe ver o gato, mas o gato sabe ver o homem. Se há desarmonia real ou latente, o gato sente. Se há solidão, ele sabe e atenua como pode(enfrenta a própria solidão de maneira muito mais valente que nós).

Se há pessoas agressivas em torno ou carregadas de maus fluidos, eles se afastam. Nada dizem, não reclamam. Afastam-se. Quem não os sabe “ler” pensa que “eles não estão ali”, “saíram” ou “sei lá onde o gato se meteu”. Não é isso! É preciso compreender porque o gato não está ali. Presente ou ausente, ensina e manifesta algo. Perto ou longe, olhando ou fingindo não ver, está comunicando códigos que nem sempre (ou quase nunca) sabemos traduzir.

O gato vê mais, vê dentro e além de nós. Relaciona-se com fluidos, auras, fantasmas amigos e opressores. O gato é médium, bruxo, alquimista e parapsicólogo. É uma chance de meditação permanente ao nosso lado, a ensinar paciência, atenção, silêncio e mistério.

Monge, sim, refinado, silencioso, meditativo e sábio, a nos devolver as perguntas medrosas esperando que encontremos o caminho na sua busca, em vez de o querer preparado, já conhecido e trilhado. O gato sempre responde com uma nova questão, remetendo-nos à pesquisa permanente do real, à busca incessante, à certeza de que cada segundo contém a possibilidade de criatividade e novas inter-relações, infinitas, entre as coisas.

O gato é uma lição diária de afeto verdadeiro e fiel. Suas manifestações são íntimas e profundas.Exigem recolhimento, entrega, atenção. Desatentos não agradam os gatos. Bulhosos os irritam. Tudo o que precisa de promoção ou explicação os assusta. Ingratos os desgostam. Falastrões os entediam. O gato não quer explicação, quer afirmação. Vive do verdadeiro e não se ilude com aparências. Ninguém em toda a natureza, aprendeu a bastar-se (até na higiene) a si mesmo como o gato.

Lição de sono e de musculação, o gato nos ensina todas as posições de respiração e yoga. Ensina a dormir com entrega total e diluição no Cosmos. Ensina a espreguiçar-se com a massagem mais completa em todos os músculos, preparando-os para a ação imediata. Se os preparadores físicos aprendessem o aquecimento do gato, os jogadores reservas não levariam tanto tempo (quase quinze minutos) se aquecendo para entrar em campo. O gato sai do sono para o máximo de ação, tensão e elasticidade num segundo. Conhece o desempenho preciso e milimétrico de cada parte do seu corpo, ao qual ama e preserva como a um templo.

Lições de saúde sexual e sensualidade. Lição de envolvimento amoroso com dedicação integral de vários dias. Lição de organização familiar e de definição de espaço próprio e território pessoal. Lição de anatomia, equilíbrio, desempenho muscular. Lição de salto. Lição de silêncio. Lição de descanso. Lição de introversão. Lição de contato com o mistério, o escuro e a sombra. Lição de religiosidade sem ícones.

Lição de alimentação e requinte. Lição de bom gesto e senso de oportunidade. Lição de vida e elegância, a mais completa, diária, silenciosa, educada, sem cobranças, sem veemências ou exageros e incontinências.

O gato é um monge portátil sempre à disposição de quem o saiba perceber.


Imagem:
Meu lindo gatão Adônis

Texto:
ODE AO GATO de Artur da Távola (Paulo Alberto Moretzsohn Monteiro de Barros, conhecido como Artur da Távola, 72 anos, falecido na semana passada).

quinta-feira, 8 de maio de 2008

REVISTA ITALIANA LANÇA CAMPANHA EM FAVOR DO TIBET


Gianpaolo Moretti posa para Max for Free Tibet

A edição da última terça-feira (06/05/2008) da revista italiana Max traz o lançamento da iniciativa "Max for Free Tibet", que conta com um especial de 50 páginas dedicado à situação atual da região atualmente sob domínio chinês.
O suplemento conta com o depoimento de 68 artistas italianos que declararam abertamente seu apoio à causa deste povo e vestem a camiseta com o lema "Free Tibet!".

Com a iniciativa, a revista, além de sensibilizar seus leitores, pede também uma colaboração: a compra da camiseta "Free Tibet!", a venda com a revista por 8,90 euros.
Parte do dinheiro arrecadado será convertido diretamente ao líder espiritual tibetano, Dalai Lama, e irá contribuir para a construção de um colégio para os refugiados tibetanos da Índia.

Veja mais alguns artistas italianos que participaram da campanha:

Agnese Nano


Enrico Lo Verso


Alba Rochrwacher


Daniele Liotti


Alessandra Mastronardi


Alessio Boni


Claudio Amendola


Carolina Crescentini


Andrea Bosca

AMOR...




"Encontre um homem que a chame de linda em vez de gostosa,
Que ligue de volta quando você desligar na cara dele,
Que deite embaixo das estrelas e escute as batidas do seu coração,
Ou que permaneça acordado só para observar você dormindo...
Espere pelo homem que queira mostrar você ao mundo,
Um homem que segure a sua mão na frente dos amigos dele..."

texto retirado da Revista Nova - jan./2007.

sexta-feira, 2 de maio de 2008

BLOGS ADEREM AO BOICOTE ÀS OLIMPÍADAS DE PEQUIM


Seguindo o exemplo da lista dos líderes e celebridades que irão boicotar as Olimpíadas de Pequim, surgiu a idéia da lista dos blogueiros que irão boicotar os jogos.

Li sobre isso no blog do Pedro Henrique, achei muito interessante e estou aderindo ao boicote.

Então, reproduzo aqui um trecho do texto sobre o tema publicado no blog do Trotta e me comprometo a fazer o mesmo neste blog.

"Independente de ter sido coincidência ou uma manobra política premeditada, o fato é que a proximidade dos jogos olímpicos deste ano deu mais notoriedade aos protestos da população tibetana nas ruas, realçando a luta do povo do Tibet por liberdade, e a consequente resposta violenta do governo chinês, tão contrária aos princípios pacíficos pregados pelos monges tibetanos.

Por tudo isso, resolvi aderir à campanha "Boicote às Olimpíadas de Pequim". Assim sendo:

* Não assistirei a competições e nem programas que falem sobre as Olimpíadas.

* Não lerei notícias em revistas ou jornais sobre os jogos de Pequim.

* Não comprarei produtos licenciados, nem consumirei produtos de patrocinadores oficiais dos jogos.

* Este blog não discutirá resultados de atletas e nem fatos relacionados às Olimpíadas, bem como não dará link para qualquer notícia relacionada."


E digo mais, deveríamos boicotar todos os produtos chineses.Sei que fica difícil, pois proliferam pelo país as lojas populares (1,99) com os produtos baratinhos daquele país, que aliás, só conseguem ser "baratinhos" pois são feitos a partir de trabalho escravo.Sei também que os produtos chineses não se limitam apenas à essas lojas populares.Há muitas grandes empresas que tem os seus produtos fabricados na China, como a Mattel, por exemplo, entre tantas.

Mas, seria muito interessante, à medida que soubessémos que o produto foi fabricado na China, passássemos a boicotar tal produto, tal marca e informar à empresa que estamos fazendo o boicote e o porquê.

Uma pessoa apenas fazendo isso, de nada adianta, mas se começarmos, poderemos, quem sabe, ser muitos.Tudo é questão de começar...

--
Sonhar não faz parte dos trinta direitos humanos que as Nações Unidas proclamaram no final de 1948.Mas, se não fosse por causa do direito de sonhar e pela água que dele jorra, a maior parte dos direitos morreria de sede.
(EDUARDO GALEANO)

--

Então, você vai aderir à Campanha?


Lista dos blogs engajados:

Hedonismos
Trottolices
Política Simples
Discussões, Dissertações e Poesias
Pra sempre Pitchula
Ogrices
Bamban Weblogs
Teorize
In other worlds
Ad Nauseam
Breakfast at Tiffany
Pensar Político
Nossos Amigos Animais
Amigo não se compra...Adote um anjo
Meu Cantinho...

BOICOTE AOS JOGOS OLÍMPICOS DE PEQUIM




O regime imposto pela China ao povo tibetano, não reconhecendo sua liberdade e soberania, ecoa pelo mundo na voz do Dalai Lama.
O mundo acompanha essa sangrenta batalha, e vozes surgem pedindo que o mundo boicote as Olimpíadas de Pequim, como forma de protesto à violação de direitos imposta pela China.


A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, foi a primeira líder mundial de peso a decidir não comparecer à Olimpíada de Pequim este ano, conforme noticiado na edição eletrônica do último dia 30 de março do jornal britânico "Guardian".

Ela é a primeira líder mundial importante a dar essa declaração, e mais uma das personalidades que não irá aos jogos.

Líderes e personalidades que confirmaram não comparecer nas Olímpíadas de Pequim:

Angela Merkel, chanceler alemã

Príncipe Charles, herdeiro do trono britânico

Donald Tusk, premier polonês

Václav Klaus, presidente tcheco

Pavel Bem, prefeito de Praga

Toomas Hendrik Ilves, presidente polonês

Frank-Walter Steinmeier, ministro de Assuntos Exteriores alemão

Wolfgang Schauble, ministro dos Esportes alemão

Steven Spielberg, cineasta americano que estava escalado para ser colaborador artístico dos Jogos Olímpicos.

Richard Gere, ator americano

Mia Farrow, atriz americana

Paul McCartney, cantor e nobre inglês

Horst Koehler, presidente alemão

Gordon Brown, primeiro-ministro britânico

Líderes mundiais que "talvez" não compareçam:

Parlamento Europeu

Nicolas Sarkozy, presidente francês

Shintao Ishihara, governador de Tóquio


Nem todos que aderem ao boicote o fazem pelos mesmos motivos, que vão desde a repressão ao Tibet, violação dos direitos humanos, violação ao direito dos animais, poluição, apoio chinês ao Sudão, enfim uma grande lista de atos de violência e violações.
Então está lançada a pergunta que não quer calar:

"Se os valores olímpicos são incompatíveis com qualquer ato de violência, como pode a China, com todas as violências diversas que ela comete sediar os jogos olímpicos???"

terça-feira, 29 de abril de 2008

METAMORFOSE AMOROSA




Metamorfose Amorosa - Affonso Romano de Sant'Anna


Uma vez, li num texto de Clarice Lispector esta frase: "Toda mãe de filha feia deveria prometer-lhe que ela seria bonita quando a sabedoria do amor esclarecesse um homem.!"

Sublinhei a frase instintivamente. Isto foi há muito tempo. Agora fui lá em A maçã no escuro procurar a frase, e lá estava ela, intacta e forte.

Recolho-a quando a questão da beleza, uma vez mais, vem habitar ostensivamente nosso verão. É que existem vários tipos de beleza. E a mais óbvia é a que todos vêem. Por exemplo, a beleza arrebatadora, avassaladora, que surge imperiosa e exige logo adoração.

É assim com certas mulheres e homens. Entram numa sala e passam a ser o centro de gravidade dos olhares. Aparecem nas telas e capas de revistas e nos hipnotizam. É assim também não apenas com pessoas, mas com certos objetos na vitrina e museus: ficamos medusados diante deles, em pura contemplação. É assim, ainda, com certas músicas que, ouvidas, passam a fazer de nosso repertório existencial e nos harmonizam nos desvãos do dia.

Mas a esse tipo de beleza se opõe um outro. O da beleza que se esvazia, que vai se esmaecendo e se distanciando de si mesma até ficar feia. É como se ocorresse uma metamorfose qualquer. E não estou falando de velhice e desgaste físico, mas da beleza que se esgota e se exaure. Pessoas que perdem o brilho sem que se saiba por que e em que instante exato.

O fato é que a gente olha, de repente, uma pessoa e repara que ela não apenas não está mais bela mas já não é mais bela. É como se a harmonia se interrompesse inesperadamente. Um modo de olhar, a curva do nariz, uma expressão de mau gosto e a beleza se esvai. Se esvai onde? Nela? Em nós? Sabe-se apenas que o que era vidro se quebrou e o amor que tu me tinhas era pouco e se acabou...

Diferente desses tipos um outro aparece e me intriga: o da beleza envergonhada. A beleza acabrunhada de ser bela. Existe? Existe.
Exemplo? Ei-lo.

Ela me confessou, quando menina era tão bonita que já não suportava mais. A todo lugar que ia repetiam-se as louvações carinhosas. Todos que vinham visitar a família desfilavam incontidos elogios. Ao ser apresenta, lá vinha o galanteio. Saindo com amigas, logo se diferenciava. No baile, a mais solicitada.Enfim, dizia ela, um porre! um saco! Parecia que as pessoas queriam tirar pedaço de mim. Outros elogiavam de uma maneira tal como se eu tivesse que fazer alguma coisa para merecer ser bela.

Nesse caso, a beleza passou a ser um ônus, uma cobrança, uma chateação. Daí que ela começou a enfear sua beleza para ser comum como os outros. A tal ponto que hoje o marido de vez em quando lhe diz: — Vê se te arruma um pouco, mulher...

Há, no entanto, uma beleza que não entra com clarins em nossa vida, nem se estampa em silhuetas perfeitas nas páginas do dia. Não é obra sedutora, arrebatadora, exigindo imediatos adoradores.

Ela é percebida aos poucos. Não se constrói linearmente. Um dia você observa que o olhar dela não é tão banal. Que o sorriso irradiou uma mensagem qualquer. Está pronto para descobrir que a pele tem a temperatura exata do seu desejo. Um corpo que parecia tão-igual-a-qualquer-um, súbito, ganha uma delicada aura. A voz, que antes não tinha traço especial, agora fica registrada na memória através de expressões banais, mas gostosas de serem lembradas.


Você está começando a olhá-la e a pensar: se ela não é tão deslumbrante como as outras, por que telefono, por que facilito encontros e por que seu corpo extrai do meu surpresas e maravilhas?

Como quem concede ou entrega um prêmio, como quem deposita a alma no destino do outro, você está pronto a se dizer: é bela, em mim, por mim, para mim. E isto basta. Eu te inventei na tua beleza, que construímos.


Sim, a beleza (descobre-se) também se constrói. Não exatamente (ou apenas) nas mesas de cirurgia plástica. Como as casas se constroem, como as flores, que passam a existir, se olhadas, a beleza se constrói. De nossas carências, de nossas premências ela se constrói, e é um imponderável arco sobre a íris de quem ama.

Extraído do livro "Fizemos bem em Resistir" - Editora Rocco

LOUCO E SANTO...




Louco e Santo

Escolho meus amigos não pela pele ou outra característica qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e
tonalidade inquietante.

A mim não interessam os bons de espírito
nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem
de mim louco e santo.

Deles não quero resposta,
quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e
agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.

Quero os santos,
para que não duvidem das diferenças e
peçam perdão pelas injustiças.

Escolho meus amigos
pela cara lavada
e pela alma exposta.

Não quero só o ombro ou o colo,
quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto não
sabe sofrer junto.

Meus amigos são todos assim:
metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis
nem choros piedosos.

Quero amigos sérios,
daqueles que fazem da realidade
sua fonte de aprendizagem,
mas lutam para que a fantasia
não desapareça.

Não quero amigos
adultos nem chatos.
Quero-os metade infância
e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o
valor do vento no rosto;
e velhos, para que nunca tenham pressa.

Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios,
crianças e velhos, nunca me esquecerei de que
"normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.

Oscar Wilde

segunda-feira, 28 de abril de 2008

CAMINHOS...




PARA REFLETIR...

Esse currículum foi feito por uma pessoa em um concurso, se a pessoa foi aprovada não sabemos, mas sem dúvida é um texto bastante original.Leiam que vale a pena...


CURRICULUM VITAE

Eu já dei risada até a barriga doer, já nadei até perder o fôlego, já chorei até dormir e acordei com o rosto desfigurado.Já fiz cosquinha na minha irmã só pra ela parar de chorar, já me queimei brincando com vela.

Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto, já conversei com o espelho, e até já brinquei de ser bruxo.
Já quis ser astronauta, violonista, mágico, caçador e trapezista. Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora.
Já passei trote por telefone, já tomei banho de chuva e acabei me viciando.

Já roubei beijo, Já fiz confissões antes de dormir num quarto escuro pro melhor amigo. Já confundi
sentimentos, Peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido.

Já raspei o fundo da panela de arroz carreteiro, já me cortei fazendo a barba apressado, já chorei ouvindo música no ônibus.

Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que essas são as mais difíceis de se esquecer.

Já subi escondido no telhado pra tentar pegar estrelas, já subi em árvore pra roubar fruta, já caí da escada de bunda.

Conheci a morte de perto e agora anseio por viver cada dia.
Já fiz juras eternas, já escrevi no muro da escola, já chorei sentado no chão do banheiro, já fugi de casa pra sempre e voltei no outro instante.
Já saí pra caminhar sem rumo, sem nada na cabeça, ouvindo estrelas.

Já corri pra não deixar alguém chorando, já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo falta de uma só.
Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e alaranjado, já me joguei na piscina sem vontade de voltar, já bebi uísque até sentir dormentes os meus lábios, já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar.
Já senti medo do escuro, já tremi de nervoso, já quase morri de amor, mas renasci novamente pra ver o sorriso de alguém especial.

Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar. Já apostei em correr descalço na rua, já gritei de felicidade, já roubei rosas num enorme jardim.
Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um "para sempre" pela metade.

Já deitei na grama de madrugada e vi a Lua virar Sol,
Já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos, e a vida é mesmo um ir e vir sem razão.

Foram tantas coisas feitas, momentos fotografados pelas lentes da emoção, guardados num baú, chamado coração.


E agora um formulário me interroga, me encosta na parede e grita:

"- Qual sua experiência?"


Essa pergunta ecoa no meu cérebro: Experiência... experiência..


Será que ser plantador de sorrisos é uma boa experiência?

Não???

Talvez eles não saibam ainda colher sonhos!


(Desconheço a autoria)

terça-feira, 22 de abril de 2008

EROS E PSIQUÉ - UMA HISTÓRIA DE AMOR



Foi o poeta latino Lúcio Apuleio (125-170d.C.) quem compôs pela primeira vez a estória de amor entre Eros e Psique. Seu relato busca raízes na mitologia e revela o cerne da doutrina platônica, ensinando-nos que a alma só pode ser feliz quando transformada pelo amor. Amplamente difundida, a versão de Apuleio tem servido pelos séculos como fonte de inspiração a escultores, pintores, literatos e músicos que imortalizam Eros e Psique em suas Obras.

EROS E PSIQUÉ

Um rei e uma rainha tinham três filhas.As duas mais velhas, embora bonitas, não despertavam nos homens a paixão arrebatadora que lhes causava Psique, a princesa mais jovem, dotada de descomunal beleza.
Julgando-se incapazes de pedi-la em casamento, por considerá-la divina, os homens passaram a fazer-lhe oferendas, com o que se esvaziaram os templos consagrados a Afrodite.Menosprezada, a deusa em sua cólera resolve castigar a pobre mortal, e ordena a seu filho Eros que a atinja com uma de suas flechas, de modo a fazer com que sua rival se apaixonasse por algum monstro.

Temeroso da ira divina, o casal se antecipara consultando o Oráculo de Apolo em Mileto. O vaticínio fora claro: deviam abandonar a princesa à beira de certo penhasco, de onde ela seria levada por uma terrível criatura. Resignados, os reis cumprem sua pena.

Mas Eros, que havia se apaixonado por Psique à primeira vista, dera ordens a Zéfiro, o vento, para que este arrebatasse a moça e a deixasse salva em seu palácio secreto, sem luzes, todo feito de ouro, prata, cedro e marfim.

Naquela mesma noite Eros se apresenta à princesa, faz dela sua mulher, mas a proíbe terminantemente de ver sua face, e promete voltar visitá-la todas as noites, sempre coberto pela escuridão. Psique passa a viver seus dias sozinha, cercada apenas por uma multidão de Vozes que lhe atendiam todos os desejos.

Mas a deusa Fama, cujo nome grego significa "divulgar", revela às irmãs de Psique onde ela se encontra, e ambas resolvem visitá-la.

Eros, em seu pressentimento adverte Psique de que alguma desgraça adviria por intermédio de suas irmãs, mas a esposa, saudosa demais, consegue convencê-lo a recebê-las no palácio. Eros cede, mas exige que Psique renove a promessa de nunca desejar ver seu rosto, mesmo que as irmãs a convençam do contrário.
O encontro a princípio foi só deslumbramento, mas aos poucos a inveja das irmãs preteridas pelo destino se transforma em desejo de vingança.

Numa segunda visita, estando Psique grávida, as irmãs passam a envenená-la dizendo que seu marido não poderia nunca ser um homem, senão uma serpente de mil anéis que apenas esperava pelo oportuno momento para devorá-la junto com a criança concebida em seu ventre.
Dão a ela uma lâmpada a óleo e uma adaga, e insistem para que à noite, depois de se amarem, tão logo o marido dormisse, ela iluminasse sua face e o matasse caso constatasse estar deitando com um monstro.

Angustiada, Psique segue à risca os terríveis conselhos. Com a adaga numa das mãos e a lâmpada na outra, aproxima-se e ilumina o rosto de seu amor.

Hipnotizada diante de divina beleza, treme e cai de joelhos, ferindo-se numa flecha do marido guardada ao lado do leito, ao mesmo tempo que derrama óleo quente sobre o ombro do amado.

Com um grito de dor, Eros acorda e seu semblante se entristece; sem dizer palavra, sobe e desaparece nas nuvens, separando-se de Psique, agora mais do que nunca ferida pela paixão eterna.

Eros retorna para junto de Afrodite, para que esta lhe curasse sua ferida.
A deusa descobre então que vinha sendo traída pelo filho e se enfurece.

Psique, por sua vez, procurando resgatar o amor perdido, oferece-se como escrava de Afrodite. A deusa, disposta a humilhá-la, promete-lhe seu filho em troca de quatro tarefas impossíveis.

Primeiramente pede-lhe que separe por espécie numa só noite uma enorme quantidade de grãos de trigo, cevada, milho, lentilhas, favas etc... Ajudada por um batalhão de formigas, Psique consegue o feito.
Irritada, Afrodite pede a Psique que lhe traga flocos de lã de ouro de ovelhas selvagens venenosas.
Um caniço verde lhe sopra o que fazer, ensinando-a colher a lã ao entardecer, quando as ovelhas se amansavam num regato em meio aos arbustos; e Psique poderia colher os flocos presos em seus galhos.
Terceira tarefa: buscar água da nascente do Estige, no alto de um rochedo guardado por terríveis dragões. Desta vez será uma águia quem virá em sua ajuda, colhendo para ela uma jarra dessa fonte.

Afrodite quase enlouquece, e cobra-lhe um último castigo. Exige que entre no Hades, reino dos mortos, para que fosse buscar com Perséfone uma caixinha com o pó da juventude.

Uma torre aconselha Psique quanto às armadilhas do percurso, e Psique cumpre bem sua perigosa viagem.
Recebe em suas mãos a encomenda, mas já no caminho de volta, não resistindo à idéia de experimentar o pó mágico com o qual ficaria eternamente bela para Eros, abre a caixa, aspira seu conteúdo vazio; e desmaia para sempre num sono profundo.

Eros se aproxima de sua bela adormecida, guarda o sono de novo na caixa, e desperta Psique para levá-la consigo ao Olimpo.

Também ele está amadurecido; curado pelo sacrifício da princesa, nada mais precisa fazer às escusas de sua mãe.

E o herói vai pedir autorização a Zeus para celebrar seu casamento.
A divindade suprema reconhece o esforço da alma evoluída e transformada, e mostra a Afrodite o descabido de seu ciúme, pois Psique agora é transcendente, imortalizou-se em sua grande iniciação, tornando-se digna do banquete dos deuses.

Eros, como todo herói, não foge à sua sina; sempre traz consigo uma alma apaixonada.

Imagem:
Eros e Psiqué de Antonio Canova - Museu do Louvre - Paris

EROS E PSIQUÉ



Eros e Psiqué - Fernando Pessoa

Conta a lenda que dormia
Uma Princesa encantada
A quem só despertaria
Um Infante, que viria
De além do muro da estrada.

Ele tinha que, tentado,
Vencer o mal e o bem,
Antes que, já libertado,
Deixasse o caminho errado
Por o que à Princesa vem.

A Princesa Adormecida,
Se espera, dormindo espera,
Sonha em morte a sua vida,
E orna-lhe a fronte esquecida,
Verde, uma grinalda de hera.

Longe o Infante, esforçado,
Sem saber que intuito tem,
Rompe o caminho fadado,
Ele dela é ignorado,
Ela para ele é ninguém.

Mas cada um cumpre o Destino
Ela dormindo encantada,
Ele buscando-a sem tino
Pelo processo divino
Que faz existir a estrada.

E, se bem que seja obscuro
Tudo pela estrada fora,
E falso, ele vem seguro,
E vencendo estrada e muro,
Chega onde em sono ela mora,

E, inda tonto do que houvera,
À cabeça, em maresia,
Ergue a mão, e encontra hera,
E vê que ele mesmo era
A Princesa que dormia.

Créditos:
Poema de Fernando Pessoa
Imagem: Eros e Psiqué de Antonio Canova

O mito de Eros e Psiquê serviu de tema a numerosos artistas.A obra mais conhecida, no entanto, é a escultura de Antonio Canova (1757/1822), uma das mais importantes figuras do Neoclassicismo.

segunda-feira, 21 de abril de 2008

DIÁRIO DE DIETA


Querido Diário

Hoje começo a fazer dieta. Preciso perder 8 kg. O médico aconselhou a fazer um diário, onde devo colocar minha alimentação e falar sobre o meu estado de espírito. Sinto-me de volta a adolescência, mas estou muito empolgada com tudo.Por mais que dieta seja dolorosa, quando conseguir entrar naquele vestidinho preto maravilhoso, vai ser tudo de bom.

Primeiro dia de dieta.
Um pedaço de queijo branco. Um copo de diet shake.
Meu humor está maravilhoso. Me sinto mais leve. Uma leve dor de cabeça, talvez.

Segundo dia de dieta.
Uma saladinha básica. Algumas torradas e um copo de iogurte. Ainda me sinto maravilhosa.
A cabeça doi um pouquinho mais forte, mas nada que uma aspirina não resolva.

Terceiro dia de dieta.
Acordei no meio da madrugada com um barulho esquisito. Achei que fosse ladrão.
Mas, depois de um tempo percebi que era o meu próprio estômago. Roncando de dar medo.
Tomei um litro de chá. Fiquei mijando o resto da noite.
Anotação: Nunca mais tomo chá de camomila.

Quarto dia de dieta.
Estou começando a odiar salada. Me sinto uma vaca mascando capim. Estou meio irritada.
Mas acho que é o tempo. Minha cabeça parece um tambor.
J. comeu uma torta alemã hoje no almoço.Mas eu resisti.
Anotação: Odeio J.

Quinto dia de dieta.
Juro por Deus que se vir mais um pedaço de queijo branco na minha frente, eu vomito! No almoço, a salada parecia rir da minha cara. Gritei com o boy hoje! E com a J. Preciso me acalmar e voltar a me concentrar. Comprei uma revista com a Gisele na capa. Minha meta. Não posso perder o foco.

Sexto dia de dieta.
Estou um caco. Não dormi nada essa noite. E o pouco que consegui sonhei com um pudim de leite.
Acho que mataria hoje por um pedaço de brigadeiro...

Sétimo dia de dieta.
Fui ao médico. Emagreci 250 gramas. Tá de sacanagem! A semana toda comendo mato.
Só faltando mugir e perdi 250 gramas! Ele explicou que isso é normal. Mulher demora mais emagrecer, ainda mais na minha idade. O FDP me chamou de gorda e velha!
Anotação: Procurar outro médico.

Oitavo dia de dieta.
Fui acordada hoje por um frango assado. Juro! Ele estava na beirada da cama, dançando can-can.
Anotação: O pessoal do escritório ficou me olhando esquisito hoje, J. diz que é porque estou parecendo o Jack do Iluminado.

Nono dia de dieta.
Não fui trabalhar hoje. O frango assado voltou a me acordar, dançando dança-do-ventre dessa vez. Passei o dia no sofá vendo tv. Acho que existe um complô. Todos os canais passavam receita culinária. Ensinaram a fazer Torta de morangos, salpicão e sanduiche de rocambole.
Anotação: Comprar outro controle remoto, num acesso de fúria, joguei o meu pela janela.

Décimo dia de dieta.
Eu odeio Gisele B.

Décimo primeiro dia de dieta.
Chutei o cachorro da vizinha.Gritei com o porteiro.O boy não entra mais na minha sala e as secretárias encostam na parede quando eu passo.

Décimo segundo dia de dieta.
Sopa. Anotação:Nunca mais jogo poquer com o frango assado.Ele rouba.

Décimo terceiro dia de dieta.
A balança não se moveu. Ela não se moveu! Não perdi um mísero grama! Comecei a gargalhar.Assustado o médico sugeriu um psicologo.Acho que chegou a falar em psiquiatra.
Será porque eu o ameacei com um bisturi?
Anotação: Não volto mais ao médico, o frango acha que ele é um charlatão.

Décimo quarto dia de dieta.
O frango me apresentou uns amigos.A picanha é super gente boa, e a torta, embora meio enfezada, é um doce.

Décimo quinto dia de dieta.
Matei a Gisele B! Cortei ela em pedacinhos e todas as fotos de modelos magérrimas que tinha em casa.
Anotação: O frango e seus amigos estão chateados comigo.Comi um pedaço do Sr. Pão. Mas foi em legítima defesa. Ele me ameaçou com um pedaço de salame.

Décimo sexto dia.
Não estou mais de dieta. Aborrecida com o frango, comi ele junto com o pão.
E arrematei com a torta. Ela realmente era um doce.
Agora a única dieta que eu faço é a da Sopa: DEUS SOPA, EU COMO!
-=-
Recebi por e-mail e desconheço a autoria.

O HAVER



O Haver - Vinícius de Moraes

Resta, acima de tudo, essa capacidade de ternura
Essa intimidade perfeita com o silêncio
Resta essa voz íntima pedindo perdão por tudo
- Perdoai! eles não têm culpa de ter nascido...

Resta esse antigo respeito pela noite, esse falar baixo
Essa mão que tateia antes de ter, esse medo
De ferir tocando, essa forte mão de homem
Cheia de mansidão para com tudo que existe.

Resta essa imobilidade, essa economia de gestos
Essa inércia cada vez maior diante do Infinito
Essa gagueira infantil de quem quer balbuciar o inexprimível
Essa irredutível recusa à poesia não vivida.

Resta essa comunhão com os sons, esse sentimento
Da matéria em repouso, essa angústia da simultaneidade
Do tempo, essa lenta decomposição poética
Em busca de uma só vida, uma só morte, um só Vinicius.

Resta esse coração queimando como um círio
Numa catedral em ruínas, essa tristeza
Diante do cotidiano; ou essa súbita alegria
Ao ouvir na madrugada passos que se perdem sem memória.

Resta essa vontade de chorar diante da beleza
Essa cólera cega em face da injustiça e do mal-entendido
Essa imensa piedade de si mesmo, essa imensa
Piedade de sua inútil poesia e de sua força inútil.

Resta esse sentimento da infância subitamente desentranhado
De pequenos absurdos, essa tola capacidade
De rir à toa, esse ridículo desejo de ser útil
E essa coragem de comprometer-se sem necessidade.

Resta essa distração, essa disponibilidade, essa vagueza
De quem sabe que tudo já foi como será e virá a ser
E ao mesmo tempo esse desejo de servir, essa
Contemporaneidade com o amanhã dos que não têm ontem nem hoje.

Resta essa faculdade incoercível de sonhar
De transfigurar a realidade, dentro dessa incapacidade
De aceitá-la tal como é, e essa visão
Ampla dos acontecimentos, e essa impressionante.

E desnecessária presciência, e essa memória anterior
De mundos inexistentes, e esse heroísmo
Estático, e essa pequenina luz indecifrável
A que às vezes os poetas dão o nome de esperança.

Resta essa obstinação em não fugir do labirinto
Na busca desesperada de uma porta quem sabe inexistente
E essa coragem indizível diante do grande medo
E ao mesmo tempo esse terrível medo de renascer dentro da treva.

Resta esse desejo de sentir-se igual a todos
De refletir-se em olhares sem curiosidade e sem história
Resta essa pobreza intrínseca, esse orgulho, essa vaidade
De não querer ser príncipe senão do seu reino.

Resta essa fidelidade à mulher e ao seu tormento
Esse abandono sem remissão à sua voragem insaciável
Resta esse eterno morrer na cruz de seus braços
E esse eterno ressuscitar para ser recrucificado.

Resta esse diálogo cotidiano com a morte, esse fascínio
Pelo momento a vir, quando, emocionada
Ela virá me abrir a porta como uma velha amante
Sem saber que é a minha mais nova namorada.

Para ouvir esse poema na voz do poetinha, clique aqui

ACENDER UMA VELA...



Li no blog da Ana Cristina sobre manifestação online para acabar com os sites de pornografia infantil.A única coisa que pedem é para acender uma vela virtual.
O objetivo é acender um milhão de velas em 4 meses.Para assinar é só clicar aqui


Eu já acendi a minha... As crianças agradecem.E o resto do mundo também.